Quinta-feira, 22 de Novembro de 2007

Foi só uma brincadeira...

     Um dia recebo na urgência uma jovem com 14 anos acompanhada da mãe que me disse:

" - Ela sempre foi saudável, até anda mais gordinha e hoje, de repente começou com estas dores que têm ficado mais fortes".

     Na realidade a miúda, contorcia-se com dores. Na observação verifiquei a existência de uma gravidez e que as dores abdominais eram as dores do parto...

     Perguntei-lhe a data da última menstruação mas respondeu-me " não sei nunca fixo".        

     Confrontei-a com o facto de estar em trabalho de parto, ao que reagiu inicialmente dizendo-me que era impossível. Depois disse que não queria nenhum bebé.

     Informei-a que nesta fase, mesmo contra a sua vontade, o bebé ia mesmo nascer, então contou-me o seguinte:

    " - Só aconteceu uma vez e não foi nada, foi só uma brincadeira.

     Depois o período nunca mais me veio mas, como nunca mais me veio certo, não me preocupei. Há dois meses achei que estava mais barriguda, mas como sempre fui gorda... resolvi esperar para ver o que acontecia. Também não sabia o que fazer..."

     No meio da confusão, da criança que estava a querer nascer, de dizer à mãe da jovem que ia ser avó, da miúda qceitar a ideia de ser mãe quando na realidade tinha idade para ter um irmão, perguntou-me discretamente:

     " - É obrigatório casar com o pai do bebé?"

publicado por pequenasgrandesmaes às 15:15
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Novembro de 2007

Gravidez e maternidade adolescente nos países desenvolvidos

   

    * As taxas de gravidez adolescente variam de uma taxa muito baixa nos Países Baixos (12 gravidezes por cada 1000 adolescentes por ano) para uma taxa muito elevada na Rússia (mais de 100 em cada 1000) ;

    * Taxas moderadas ocorrem na Autrália, Canadá, Nova Zelândia nalguns países europeus ( 40-69 por cada 1000) ;

    * Apenas um grupo de 5 países Bielorússia, Bulgária, Roménia. Rússia e os EUA - têm taxas de gravidez adolescente de 70 ou mais em cada 1000 adolescentes.

 

 

     Existe uma tendência marcada nos últimos 25 anos no mundo industrializado que nos mostra uma diminuição das taxas de gravidez e maternidade adolescente, tendência à qual não será alheia a crescente motivação dos/das jovens para atingirem níveis mais altos de educação, formação e objectivos que vão além de maternidade e constituíção de família para as jovens raparigas; o acesso a programas de educação sexual, que aumentaram o conhecimento em matéria de uso contraceptivo, a uma maior competência individual para negociar práticas contraceptivas seguras, bem como um maior apoio social no acesso aos serviços de prevenção da gravidez e IST entre os adolescentes.

 

 

Gravidez e Maternidade Adolescente em Portugal - Ainda um problema?

 

     A maternidade na adolesência continua a ser um problema, na medida em que existem consequências negativas aos níveis psicológico, biológico, social, educativo e económico, principalmente à rapariga grávida ou mãe, mas também ao pai da criança, à família de origem de ambos, ao bebé, e, até, à sociedade. Estas consequências são na verdade mais significativas se considerar-mos os/as jovens provenientes de meios de pobreza ou pobreza extrema, onde co-existem já vulnerabilidades acrescidas aos níveis referidos.

publicado por pequenasgrandesmaes às 14:59
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Pekenas Grandes Maes orga...

. Pekenas Grandes Mães elab...

. Pekenas Grandes Mães orga...

. Pekenas Grandes Mães orga...

. O que fazer para evitar a...

. ... Identidade do Pai Ado...

. ... Identidade das Mães A...

. Soluções para a gravidez ...

. A ADAV (Associação de Apo...

. A gravidez na adolescênci...

.arquivos

. Maio 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds